Unisul: funcionários não querem pagar a conta sozinhos

A assembleia de sábado do Sinpaaet revelou o que se esperava: os funcionários da Unisul estão contrariados com o aventamento da possibilidade de corte de carga horária e salários antes que haja um diagnóstico minimamente sólido da situação da universidade, com clareza do tamanho do impacto desses cortes e, principalmente, a certeza de que cortes considerados prioritários tenham sido realizados antes de uma medida tão drástica e danosa para a economia do município – vale lembrar que milhares de pessoas com salário reduzido são milhares de famílias comprando menos no comércio, na padaria e no mercado. O sentimento, convenhamos, é natural e justificável. A comissão a ser formada por representantes do próprio Sinpaaet, da Unisul, da Câmara e da prefeitura precisa apontar outros caminhos e dirimir de vez as suspeitas de que existem funcionários na folha de pagamento que não estão cumprindo a carga horária para a qual são contratados. A sugestão de que o corte generalizado de salários ocorra antes de qualquer averiguação mais profunda não parece ser algo factível neste momento.

Portal da Transparência

Causou muita repercussão a coluna do final de semana, em que tratei da necessidade de a Unisul ser pioneira e implementar um Portal da Transparência, a exemplo do que já fazem os órgãos do poder público. Reafirmo aqui a disposição de, voluntariamente, auxiliar o processo de implementação de algum instrumento dessa natureza, com a experiência de ter participado de um período notável de evolução do portal como foi o dos últimos anos no município de Tubarão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mande sua mensagem por WhatsApp
Enviar