Sugestão: “Menos partidos”

O editorial da Folha de São Paulo de hoje é certeiro: dentre tudo o que foi discutido sobre Reforma Política nos últimos dias, a proposta mais sensata e menos danosa é a que avança relatada pela deputada Shéridan (PSDB-RR), que acaba com as coligações proporcionais e cria cláusula de barreira para as siglas acessarem o Fundo Partidário.

Mas nenhum vereador ou deputado, obviamente, precisa do apoio de colegas de outro partido para exercer sua função –e é como se a coligação, nesses casos, funcionasse com tal objetivo, às expensas da vontade do eleitor.

Alimenta-se, na verdade, a existência de bancadas sem representatividade nos Legislativos. Tal anomalia, por sua vez, perpetua um sistema em que legendas de aluguel emprestam (ou alugam) seu tempo de TV e apoios ocasionais a candidatos majoritários.

O simples fato de acabarem as coligações fara muitos partidos de aluguel sumirem, pois não terão como eleger sozinhos seus representantes.

Seria um notável avanço.

Deixe uma resposta