Sucessão na ADR depende do PSD

Alvo de muita especulação, a sucessão de Nilton de Campos no comando da ADR de Tubarão pode nem acontecer até o fim da gestão atual. A possibilidade de o MDB assumir a indicação do posto depende fundamentalmente das relações do partido com o PSD. Se o partido deixar o governo assim que Raimundo Colombo renunciar, como prega o presidente estadual Gelson Merisio, a vaga fica naturalmente em aberto, pronta para ser discutida. Caso contrário, tudo vai depender do andamento das alianças para outubro. Mesmo que o PSD permaneça junto ao MDB, a mudança não está descartada porque Eduardo Moreira parece disposto a rediscutir a composição do governo. Defensor dessa aliança, Júlio Garcia é tido como um aliado dos membros do MDB de Tubarão para que haja uma transição por aqui que permita que o partido retome o comando da regional. O ex-presidente da Câmara de Vereadores Edson Firmino é considerado um nome que poderia ser aceito pelas duas alas do partido – a que venceu a eleição interna, liderada pelo vereador Douglas Martins e o deputado federal Edinho Bez; e a que perdeu, que conta com os vereadores Cascão e Socadinho e o candidato a vice-prefeito em 2016 João Marcelo Fretta Zapellini. Edson fez o gesto de aproximação ao aceitar integrar a atual composição do diretório municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mande sua mensagem por WhatsApp
Enviar