Só falta o PSDB tomar a sua decisão

Enquanto as lideranças estaduais do PSDB reafirmam que terão candidatura ao governo do Estado, mesmo que seja em chapa pura, os demais partidos seguem especulando qual será o rumo que os tucanos tomarão – ainda mais depois de Dalírio Beber se juntar a Paulo Bauer no time dos senadores que terão que se defender de acusações durante o período eleitoral, ainda que não haja provas nem evidências de sua participação em irregularidade. Já parece definido que o PT terá o deputado federal Décio Lima como candidato a governador, com o ex-desembargador tubaronense Lédio Rosa concorrendo ao Senado – as demais vagas ainda parecem abertas à discussão; o MDB também terá seu próprio nome, seja ele Eduardo Pinho Moreira ou Mauro Mariani, e ao menos um postulante ao Senado; e o bloco encabeçado por PSD e PP já tem opções de sobra. Pode ser Gelson Merisio ao governo e Ângela Amin como vice. Pode ser Esperidião Amin ao governo e Merisio de vice. E pode ser Paulo Bauer ao governo, com Merisio de vice, Amin e Raimundo Colombo ao Senado. Seria necessário o PSDB aceitar apenas a cabeça-de-chapa, frustrando os planos de Napoleão Bernardes de compor a majoritária. Se o PSDB de fato não abrir mão de dois espaços na majoritária, poderia indicar Napoleão para vice e Bauer ao Senado, restando ao PSD sacrificar uma de suas duas indicações. Ou deixar que os tucanos voem para o abraço ao MDB, que tem essas duas posições para oferecer.

Deixe uma resposta