Relatório da PF no Caso Cau: “excesso de insinuações e escassez de provas”

O jornalista Élio Gaspari publicou um artigo, nesta quarta-feira, no Jornal O Globo, do Rio, sobre o relatório da Polícia Federal sobre a ação que culminou com a morte do reitor da Universidade Federal de Santa Catariuna (Ufsc), Luiz Carlos Cancellier, o Cau. Vale a pena reproduzir o primeiro parágrafo: “Hoje completam-se sete meses da manhã em que Luiz Carlos Cancellier, reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, matou-se. Os repórteres Monica Weinberg, Luisa Bustamante e Fernando Molica tiveram acesso ao relatório de 800 páginas da Polícia Federal com o resultado da investigação que o levou à prisão em setembro do ano passado. Eles informam: ‘É uma leitura perturbadora pelo excesso de insinuações e escassez de provas’”.

Leitura recomendada 

Leitura mais que recomendada para refletir sobre o caso em que uma vida foi ceifada e não há qualquer indício decente de que haja algo concreto para acusar Cau. Mesmo assim, não existe nenhuma sinalização de que a conduta dos agentes públicos envolvidos, da Polícia Federal ao poder Judiciário, será sequer analisada. Deixaremos essa tarefa apenas aos livros de história?

Deixe uma resposta