Reforma Política: mais uma semana perdida

Tudo indica que a Reforma Política não vai sair do papel. Considerando que as pautas de grandes votações do Congresso Nacional concentram-se entre terça e quinta, temos mais uma semana perdida e, na próxima rodada de votações, já estaremos a menos de um mês do fim do prazo para que as alterações valham já nas eleições do ano que vem.

O projeto relatado por Vicente Cândido (PT-SP), que tratava da criação do Distritão e da criação de um fundo para o custeio das campanhas, deve ficar para trás pela péssima repercussão social dos dois temas.

Resta a proposta de Shéridan (PSDB-RR), que trata de uma meta mais simples: o fim das coligações proporcionais e a instalação de uma cláusula de barreira para que os partidos possam acessar o Fundo Partidário. A intenção é reduzir a quantidade de siglas no País.

Diante da incapacidade do Congresso de discutir grandes temas como esse com profundidade, seria uma solução razoável.

Matéria de O Globo de hoje, porém, diz que a reforma está a um passo do fracasso. Mais uma vez.

Deixe uma resposta