PSL consegue a proeza de criar novos vícios na política brasileira

O Brasil tem um sistema político defasado, que gerou uma infinidade de vícios de sustentação de poder que só seriam efetivamente combatidos com uma reforma do nosso sistema eleitoral.

As mudanças pontuais na legislação realizadas nos últimos anos não mudaram significativamente esse quadro, infelizmente.

Símbolo do que convencionou-se chamar de nova política, o Partido Social Liberal (PSL) está nas manchetes há meses por supostamente desenvolver a incrível capacidade de criar novas formas de transgredir a ordem democrática.

O partido sofreu duas contundentes acusações de lançamento de candidaturas femininas laranjas nas eleições de 2018:

Em ambos os casos, a acusação não é apenas de lançamento de candidaturas femininas apenas para cumprir a cota da legislação. É muito mais grave.

O PSL é acusado de ter desviado o dinheiro público do Fundo Eleitoral, beneficiando pessoas que estariam por trás de empresas fantasmas.

Trata-se de uma fórmula absolutamente nova, já que essa foi a primeira eleição com uso do Fundo Eleitoral.

Lembremos que o senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, está enrolado com seu ex-assessor Fabrício Queiroz, suspeito de realizar movimentação semelhante, mas usando o salário dos assessores de Flávio como deputado estadual no Rio de Janeiro.

Curiosamente, as acusações estão nos redutos eleitorais do atual presidente do partido, Luciano Bivar (Pernambuco); e do presidente durante o período eleitoral, Gustavo Bebianno (Rio de Janeiro).

Eis a nova política.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mande sua mensagem por WhatsApp
Enviar