Prefeito e governador precisam conversar

O prefeito de Tubarão e o governador precisam conversar. É o que se pode concluir dos anúncios das últimas  semanas. Afinal, estamos caminhando para ter três pontes a menos de três quilômetros de distância. Isso inegavelmente precisa ser revisto.

O prefeito Joares Ponticelli vai lançar amanhã (27) a ordem de serviço de uma, próxima ao Farol Shopping. A estrutura ligará as ruas Uruguai (Margem Direita) e Padre Nóbrega (Margem Esquerda). O investimento será de pouco mais de R$ 9 milhões e virá do empréstimo de R$ 30 milhões contraído pelo Município junto à Caixa Econômica Federal, através do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa).

Dias antes, o governador Carlos Moisés antecipou, em uma cerimônia informal, a construção de outra. Ligará Tubarão a Capivari de Baixo ao custo estimado de R$ 20 milhões – a obra ainda não foi licitada. Portanto, não é possível informar o valor exato.

Também não existe uma definição clara sobre onde seria erguida esta obra intermunicipal. Em um encontro entre o dois prefeitos, em 2017, foi informado que a Amurel tem um projeto conceitual feito em 2009. No entanto, faltaria definir a localização.

Uma matéria da prefeitura de Capivari de Baixo, postada em 2014, informa que ela ficaria entre um prolongamento da avenida Marcolino Martins Cabral, em Tubarão; e a avenida Paulo Santos Mello, em Capivari de Baixo.

O prefeito e o governador precisam conversar sobre as pontes

Primeiramente, claro que as duas pontes são aguardadas há muitos anos. Por outro lado, fica evidente que ambas ficariam próximas demais. Inclusive por ter a ponte Orlando Francalacci (Ponte do Quartel) no meio do caminho.

Pontes projetadas pela prefeitura de Tubarão e o governo do Estado
Haveria três pontes a uma distância de menos de três quilômetros.

A discussão sobre a melhor localização para a construção é bastante antiga. E foi retratada em uma postagem aqui no blog, ainda em 2017. No entanto, fica evidente que é preciso parar e pensar.

Não seria justo fazer uma destas pontes na Guarda?

Por mais que as desavenças políticas sejam evidentes, é preciso invocar a razão.

Portanto, cabe a reflexão: não seria justo levar uma destas pontes para a Guarda? Uma área rural em que não há ligação para veículos. Além disso, ajudaria a explorar o potencial de águas termais da região.

A cobrança foi feita em agosto deste ano na Câmara de Vereadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mande sua mensagem por WhatsApp
Enviar