Posse de Edinho na vaga de João Rodrigues não é imediata

Como comentei na coluna de ontem, a prisão do deputado federal João Rodrigues (PSD) pode até beneficiar indiretamente o suplente Edinho Bez (PMDB), mas esse não é um processo automático. Apenas após 120 dias de ausência poderia haver uma perda de mandato por conta da sua ausência e os advogados de João já deixaram claro que pretendem dar a João o direito de trabalhar na Câmara de dia e cumprir a sua pena, em regime semiaberto, à noite.

Histórico

A trajetória de João Rodrigues é marcada por vitórias eleitorais e renúncias no começo de mandatos para concorrer a outros. Foi eleito vice-prefeito de Pinhalzinho em 1996 e prefeito, em 2000. Renunciou no ano seguinte à sua posse para se eleger deputado estadual. Mais uma vez deixou o mandato no segundo ano de sua vigência, desta vez para concorrer e vencer a disputa pela prefeitura de Chapecó, em 2004. Foi reeleito em 2008, mas voltou a renunciar, para ser candidato a deputado federal, em 2010. Foi reeleito em 2014.

Deixe uma resposta