Os reflexos da escolha de Mariani como candidato

A reunião da executiva do MDB de Santa Catarina, na manhã de ontem, teve resultado surpreendente. Parecia certo que o encontro serviria para definir quais seriam os critérios da disputa entre o deputado federal Mauro Mariani e o governador Eduardo Pinho Moreira. Mauro já é um pré-candidato declarado há mais de um ano. Superou a concorrência do prefeito de Joinville Udo Döhler (que não renunciou no prazo legal), mas não decolou em pesquisas ou articulação de alianças. Eduardo aguardou seu momento de assumir o governo, moldou a máquina ao ponto de ter apoio e musculatura para definir coligações, mas ontem anunciou a sua surpreendente desistência. Por mais que o MDB catarinense tenha histórico de reviravoltas até o momento das convenções, fica difícil imaginar que ainda haja condições de contestar essa decisão, já que todas as grandes lideranças do partido declararam apoio a Mariani – o senador Dário Berger, inclusive. Resta saber qual será a capacidade de o deputado federal atrair alianças. Eduardo Moreira parecia estar próximo de selar o apoio do PSDB. Poderia Mauro fazer o mesmo? Poderia Mauro conversar com o PSD e declarar que sua própria candidatura não é de continuidade? Ou o MDB pode estar se isolando com a decisão? Alguns destes cenários deve ter as cenas dos próximos capítulos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *