O protesto contra o IPTU virou festival de baixarias

Protestar contra o aumento do IPTU é uma atitude natural do cidadão tubaronense. O impacto foi considerável, os critérios precisavam ser melhor explicados e a discussão, mais ampla. Muitas pessoas se mobilizaram, mas o protesto de ontem, que tinha tudo para ser a aula de civilidade que o País precisa, descambou para a falta de educação generalizada e tornou-se um festival de baixarias. O suplente de vereador do PT Claudemir da Rosa, que tomava posse para um período de 30 dias com a licença do titular Professor Paulão, foi hostilizado sem qualquer razão – afinal de contas, sequer participou da polêmica votação, manifestou-se publicamente contra o aumento, assim como o partido que integra. Seus familiares tinham o direito de parabenizá-lo pela posse de um cidadão que apresentou seu nome à população nas eleições. Os vereadores que resistiram à aprovação do projeto de lei foram “premiados” com as mesmas vaias destinadas aos que aprovaram a matéria e a impressão era de que o tal aumento do IPTU era o que menos importava ali. O prefeito Joares Ponticelli fez uma fala de abertura apresentando alguns argumentos – se o povo tem direito de reclamar, o prefeito também tem de se explicar. Apontou o dedo para servidores que estavam na plateia protestando, “mas não têm a coragem de mostrar o contracheque”, numa referência clara aos supersalários que tanto pesam na folha salarial do Município. Pouco se ouviu e a sensação foi de que o protesto legítimo, infelizmente, se perdeu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *