O caso Marielle e o caso Marcelino

A execução da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL) checou o País na noite de quarta-feira. Mulher, negra e com origem em uma favela, Marielle foi assassinada pouco depois de assumir a relatoria de uma comissão que acompanharia a intervenção militar na Segurança Pública do Estado. Mexeu, evidentemente, com imensos interesses comerciais e políticos. A relação entre os fatos é, naturalmente, algo que precisa ser apurado. É impossível não relacionar o caso com a morte do vereador de Chapecó Marcelo Chiarello (PT), em 2011. Marcelino também mexeu em assuntos polêmicos ao denunciar supostos casos de corrupção na cidade, à época. Foi encontrado morto em sua própria causa e o caso foi arquivado, com o entendimento de que houve suicídio – embora haja uma infinidade de especialistas que atestem evidências de homicídio com simulação de suicídio. Muitas vezes enxovalhada, a classe política também é exposta quando faz o que dela se espera. Que o caso Marielle não fique por isso mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mande sua mensagem por WhatsApp
Enviar