fbpx

Movimentação de Amin é a novidade política do Natal

O grande tema de qualquer bate papo sobre as eleições de 2018 em Santa Catarina era, até algumas semanas atrás, a dúvida quanto à renúncia de Raimundo Colombo do governo do Estado. O tema parece superado desde que Colombo e Eduardo Moreira sinalizaram um acordo velado: o vice-governador toma posse apenas em abril, no limite do prazo legal, mas dá as cartas informalmente desde já. Quem assume o protagonismo no tabuleiro de xadrez agora é o deputado federal Esperidião Amin, presidente estadual do PP prestes a renunciar em um acordo para permitir a ascensão ao poder de Silvio Dreveck, aliado de Joares Ponticelli e defensor do apoio a Raimundo Colombo. Amin nunca foi defensor desta aliança e seu argumento ganha força no momento em que o PSD parece se aproximar do MDB. Agora o ex-governador defende que o partido saia da posição de coadjuvante e assuma uma candidatura própria ao governo – que seria, provavelmente, a dele próprio. Se realmente ficar sem espaço próximo ao PSD, que pretende estar com MDB e PSDB, o PP pode ficar sem alternativa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *