Governo de Eduardo oficializará racha no PSD

Prestes a se tornar governador de fato, Eduardo Pinho Moreira confirmou que toma posse em 16 de fevereiro e que terá nomes do PSD em sua equipe, formalizando a divisão no partido do governador Raimundo Colombo. Serão, naturalmente, da ala de Júlio Garcia, a que defende o apoio a um candidato do PMDB. Ou seja: teremos uma ala do partido dentro do governo e outra, liderada por Gelson Merisio, do lado de fora, tricotando com PP, PSB e PDT, entre outros.

O DEM à espera

É natural a suspeita de que a ala governista do PSD pode sentir a necessidade de migrar em bloco para outro partido se sentir que Merisio levará a melhor na convenção. E essa nova casa seria o DEM, que poderia aliar-se livremente à candidatura de qualquer um dos candidatos do PMDB, indicando o vice ou mesmo um candidato ao Senado. O deputado federal João Paulo Kleinubing tem planos concretos de realizar a transferência, independentemente dos caminhos que o PSD tomar.

Exonerações do PP

Prestes a se tornar governador de fato (embora ainda não de direito), Eduardo Pinho Moreira deu entrevistas em que disse que espera que os representantes do PP no governo peçam exoneração – o que indica que podem sair por bem ou por mal. O maior representante do partido vai pedir para sair: o secretário de Assistência Social Valmir Comin, que vai se desincompatibilizar para concorrer à reeleição para a Assembleia Legislativa.

Deixe uma resposta