Fundam não vai interferir nas obras em curso em Tubarão

Não é de hoje que o cenário político estadual não leva muita fé na liberação de recursos para uma segunda edição do Fundo de Apoio dos Municípios (Fundam). O programa consistia em um financiamento feito pelo governo do Estado junto ao BNDES. O valor era repassado a todas as prefeituras do Estado, com parte do valor sendo proporcional à população e outra parte definida por indicação dos deputados estaduais. Obviamente se tratava de um imenso negócio para as prefeituras, porque o pagamento do financiamento ficava a cargo do Estado. O Fundam foi uma marca da gestão de Raimundo Colombo. Sua saída deixou uma nova etapa mais distante e Eduardo Moreira deixou muito claro que não é um entusiasta da fórmula, inclusive porque ela demanda tempo para acontecer, e tempo é algo que o novo governador não tem. O fato é que dificilmente essa modalidade acontecerá, mas isso não tem influência direta nas obras que estão sendo tocadas em Tubarão via convênios com o Estado: a revitalização do entorno da Arena e dos acessos à BR-101. A intenção dos municípios da Amurel era de unir os recursos para a aquisição de uma usina de asfalto e um plano B já está em curso, buscando recursos federais.

Deixe uma resposta