Estacionamento rotativo está, enfim, prestes a sair do papel

Um processo lento, demorado e desgastante deve entrar na sua fase final em abril. As linhas gerais do edital de concessão do estacionamento rotativo foram apresentadas em audiência pública realizada ontem, no auditório da Amurel. Há, claro, questões que despertam alguma polêmica. O valor a ser cobrado por hora deverá ser de R$ 3, superior ao praticado em alguns estacionamentos particulares. A justificativa é de que esse é o valor necessário para tornar o negócio viável à empresa que assumirá a concessão pública, que deverá ser de dez anos. A ideia da comissão responsável pela elaboração deste edital é de que haja farta opção de compra online de créditos para uso das vagas, além da possibilidade de uso de pontos de venda no comércio. Também parece claro que os monitores da empresa que vier a operar o sistema poderão até informar agentes do Município sobre eventuais irregularidades, mas a comunicação com os proprietários de veículos precisa partir dos guardas municipais, que têm competência e aptidão para aplicar multas. A previsão é apresentar a proposta até segunda-feira para análise do Tribunal de Contas do Estado e, caso esta proposta seja aprovada, dar início à licitação no início de abril.

Deixe uma resposta