Em Santa Catarina, uma nova tríplice a cada dia

Desde que Luiz Henrique da Silveira formou uma tríplice aliança para apoiar a sua reeleição, em 2006, a possibilidade de formação de uma aliança envolvendo três grandes partidos do Estado é ventilada. Na ocasião, o bloco isolava o PP; desta vez, pode ocorrer o mesmo ou até ser a vez de o MDB ficar sozinho – o que seria inédito e até mesmo surpreendente, por se tratar do partido que estará, no momento das definições, ocupando o governo do Estado. Nesta semana, a foto em um evento público que reuniu Esperidião Amin, Paulo Bauer e Raimundo Colombo tornou-se símbolo da esperança de quem sonha em juntar PP, PSDB e PSD. Poderia ser um reflexo a derrocada de João Rodrigues, que pretendia levar o PSD para os braços do MDB, mas neste cenário faltaria Gelson Merísio, que tenta dar corpo a sua candidatura há muitos meses.

Deixe uma resposta