Eduardo nomeia Ximenes como “comandante”do gabinete

Já não é mais preciso uma análise política muito profunda para notar que Eduardo Pinho Moreira assumiu vigorosamente a condição de candidato à reeleição ao governo do Estado. O anúncio de ontem de desativação de 15 Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs) – entre elas as de Laguna e Braço do Norte, incorporadas pela ADR de Tubarão. O mesmo foi determinado para as de Itapiranga, Dionísio Cerqueira, Palmitos, Quilombo, Seara, Caçador, Ituporanga, Taió, Ibirama, Timbó, Brusque, Canoinhas e São Joaquim. A decisão também atingiu quatro secretarias executivas vinculadas diretamente ao gabinete do governador: Articulação Estadual, Assuntos Internacionais, Assuntos Estratégicos e Supervisão de Recursos Desvinculados. E vem mais por aí, já que o governador em exercício antecipou que algumas das secretarias serão unificadas – o que vai gerar um efeito muito mais político do que financeiro, já que suas estruturas serão mantidas, havendo apenas a nomeação de um secretário para mais de uma pasta. A escolha pelo caminho da economia é, naturalmente, uma jogada eleitoral importante, de boa repercussão. Por outro lado, Eduardo terá que explicar porque o governo do qual ele faz parte desde 2003 só implementou essas medidas agora, no ano da eleição em que ele deve concorrer. Sem falar no desgaste com aliados que tantas demissões naturalmente vai provocar.

Ximenes é o “comandante”

Na coletiva, notou-se a presença de Miguel Ximenes, ex-prefeito de Tubarão e ex-deputado estadual, na mesa de autoridades, ao lado do governador em exercício e de secretários da linha de frente do governo. Eduardo Moreira o anunciou como “comandante do gabinete”, garantindo que ele será nomeado a partir de março. Não ficou claro qual será exatamente o seu cargo, mas a ele caberá a relação com a Assembleia Legislativa.

Deixe uma resposta