Edson Antônio: “O sul pelo sul e a Amurel pela Amurel”

Qual o objetivo da Acit com a campanha de votos pelos candidatos do Sul?

Mostrar ao eleitor da Amurel a importância de concentrarmos nossos votos em candidatos que sejam desta região e naqueles que tenham afinidade conosco, que tenham histórico construído também em nossas cidades, e que tenham contribuído, ao longo de sua história, para o nosso desenvolvimento. Que ao escolhermos candidatos que não tenham afinidade com o nosso povo, com as nossas entidades, estamos avalizando políticos que não tenham, necessariamente, compromisso direto com nossa região. Que ao escolhermos candidatos que se aproximem de nós, que possamos encontrar no mercado, no shopping, no posto de combustível, estaremos aproximando as nossas demandas, os nossos projetos daqueles que efetivamente tem o compromisso de lutar pelas nossas causas, de nos ajudar. Queremos mostrar que essa decisão de voto não pode ser pautada só na afinidade, mas na representatividade que queremos ter, para sermos ouvidos, sermos atendidos, sermos respeitados. Por isso, apoiamos a campanha da Facisc “O sul pelo sul”. Mas queremos mais, queremos o sul pelo sul, a Amurel pela Amurel e Tubarão por Tubarão.

Quais os prejuízos que a classe empresarial detecta pela atual falta de representatividade?

Num cenário econômico onde há a escassez de recursos, onde as decisões sobre a implementação de projetos e priorização de investimentos leva em conta características sociais, econômicas e políticas, a falta de representatividade política é sem dúvida alguma um fator muito negativo. Precisamos dessa representatividade, que possa levar nossos pleitos ao executivo, auxiliar nas demandas no legislativo, exercer o papel de interlocutor entre a sociedade e o governo. É disso que precisamos e a Amurel, com aproximadamente 280 mil eleitores, tem a capacidade e a obrigação, consigo mesma, de fazer uma grande representatividade na Assembleia Legislativa e no Congresso Nacional. Sem essa representatividade, cuja decisão é só nossa, eleitores, continuaremos lutando muito para receber pouco.

Quais os seus objetivos à frente da Acit?

Trabalhar pela classe empresarial, fazendo a ACIT cumprir o seu papel de agente de fomento e de transformação, através da busca por ferramentas, soluções e aproximação entre os agentes privados e públicos, organizações e oportunidades. Queremos realizar um trabalho muito sério, tendo representatividade, sendo a voz do empresário tubaronense. Queremos nos aproximar mais do nosso associado e dos nossos empresários, entender e tentar atender suas demandas, lutar pelo desenvolvimento de nossa região, realizando o trabalho que se espera da Acit. Tenho dito e repito: não temos a pretensão de sermos melhores ou maiores que ninguém, mas temos a obrigação de sermos protagonistas no papel que nos cumpre. Para isso, estamos trabalhando no planejamento estratégico da entidade para os próximos 5 anos, alinhando nossas ações em prol do nosso associado e de nossa comunidade. Todos nós da diretoria e conselhos somos voluntários, mas nem por isso, deixaremos de nos comprometer com as nossas causas. Trabalho e dedicação é o que podem esperar, porque a Acit é a casa do empresário tubaronense.

Deixe uma resposta