Datafolha: Aécio caiu mais durante o golpe do que com as gravações da JBS

Divulgada em partes entre o final de semana e hoje, a mais recente pesquisa Datafolha que trata do cenário da disputa presidencial do ano que vem mostrou um quadro que varia muito pouco, apesar de terem sido criado seis cenários diferentes de primeiro turno.

Foram testados três candidatos diferentes no PSDB (Aécio Neves, Geraldo Alckmin e João Dória), dois vindos do Judiciário (Joaquim Barbosa e Sérgio Moro) e mais três possibilidades no PT: Lula, Haddad e nenhum candidato.

Uma leitura do relatório completo da pesquisa mostra:

  • Aécio está em queda, mas não dá pra afirmar que isso se dá pelo fato de ter sido flagrado recebendo R$ 2 milhões de Joesley Batista. Sua queda vem de tempo e pode-se dizer até que seu pior momento se deu durante o impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

 

  • O processo de impeachment foi aceito por Eduardo Cunha na Câmara dos Deputados em 2 de dezembro de 2015. Dilma foi afastada em 17 de abril de 2016 e teve o mandato definitivamente cassado em 31 de agosto. Nesse período, Aécio caiu de 26% para 11%.

 

  • No cenário com Geraldo Alckmin, o governador de São Paulo também teve sua intenção de voto reduzida à quase metade (caindo de 14% para 8%) no período em que a derrubada de Dilma se desenrolava. Depois das gravações que acertaram em cheio seu concorrente interno, caiu para 6%.

 

  • Essa é a primeira pesquisa Datafolha registrada desde a posse de João Dória como prefeito de São Paulo. Portanto, não há série histórica para comparar, pois ele não figurava nos levamentos anteriores. Mas seus índices são de 9% (com Lula candidato) e 11% (sem nenhum candidato do PT). Muito parecido com o desempenho de Alckmin, que tem 6% no confronto com Lula e 9% sem adversário do PT.

 

  • Os votos da direita brasileira, portanto, estão todos indo para o cestinho de Jair Bolsonaro (PSC), que tinha 5% em dezembro de 2015 e hoje tem 14%, no cenário com e Alckmin. No quadro com Aécio, subiu de 4% para 15%.

Parabéns aos envolvidos.

Deixe uma resposta