CUT defende o fim do imposto sindical

Muita gente foi induzida a defender a Reforma Trabalhista por entender que o fim do imposto sindical prejudicaria as entidades sindicais. Vale lembrar que a Central Única dos Trabalhadores (Cut) defende essa medida de maneira oficial há quase dez anos, desde o governo Lula.

A explicação é simples: o imposto sindical permite a proliferação de sindicatos e, consequentemente, a desmobilização dos trabalhadores e de seu poder de negociação.

É mais ou menos como o modelo atual do Fundo Partidário, um convite para a criação de partidos políticos.

O que comprova isso é o fato de estar sendo noticiado um acordo que teria sido feito entre Temer e Paulinho da Força, presidente da Força Sindical, para reverter o fim do imposto sindical através de Medida Provisória. Essa desmobilização é naturalmente simbolizada pela Força Sindical.

Temer, porém, parece propenso a não cumprir o acordo na tentativa desesperada de salvar seu “mandato”.

Esse talvez seja o único ponto positivo da “reforma”.

Deixe uma resposta