Cotado para a presidência da Alesc, Júlio detona Merisio

Nos bastidores, já surgem os primeiros candidatos a comandar as casas legislativas – as escolhas serão feitas em 1º de fevereiro, quando os membros do Poder Legislativo serão empossados. Valdir Cobalchini (MDB) busca o apoio dos nove deputados de seu partido e dos seis do PSL. Seria uma grande arrancada. Júlio Garcia (PSD) também aparece como possível concorrente.

Júlio detona Merisio

No programa de Adelor Lessa na rádio Som Maior, de Criciúma, Júlio Garcia não poupou o presidente de seu partido e candidato a governador Gelson Merisio. Atribuiu à sua condução autoritária o pior resultado do grupo político desde 1986 – englobou, nesta análise, o PFL e o DEM, antecessores do PSD. Afirmou que ainda que o MDB também teve uma candidatura imposta (a do deputado federal Mauro Mariani) e que isso possibilitou a ida de Comandante Moisés (PSL) ao segundo turno. “Só a onda não seria suficiente. A fragilidade das duas candidaturas fez com que surgisse a terceira via”.

Um quase voto

Júlio lembrou que fez sua campanha de maneira totalmente desvinculada da disputa majoritária, inclusive sem gravar as chamas dos programas de rádio e TV e sem usar o fundo eleitoral. Avaliou que a candidatura de Merisio é “imposta, arrogante e prepotente”. Disse não conhecer Moisés pessoalmente, mas avaliou que se trata de uma pessoa honesta, equilibrada e que representa o novo. Mas preferiu não declarar em quem vai votar – como se fosse necessário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *