Concessão do trecho sul da BR-101 é um “quase consenso”

A audiência pública realizada pela Agência Nacional de
Transportes Terrestres (ANTT) ontem, em Criciúma, para debater a proposta de
concessão a iniciativa privada do trecho sul da BR-101 foi prestigiada. Estavam
presentes os deputados federais Ronaldo Benedet (MDB), Geovania de Sá (PSDB,
reeleita) e Esperidião Amin (PP, senador eleito), além do eleito Daniel Freitas
(PSL), diversos prefeitos, vereadores e deputados estaduais. Nas falas, também
vindas de representantes de transportadoras, uma constatação: ninguém acredita
que o governo federal tenha condições de fazer a manutenção do trecho e as
obras complementares que ficaram para trás. A concessão seria, nessa linha, a
única solução viável – salvo a manifestação desconexa do deputado estadual
eleito Jessé Lopes (PSL), de Criciúma, que defendeu a privatização da rodovia.
O grande debate se concentra na quantidade de praças a serem instaladas, e a
proposta de que sejam três parece ser a mais defendida – com uma distância de
pouco mais de 70 quilômetros entre cada uma. Os municípios, vale ressaltar, tem
dois interesses diretos na instalação das praças: a arrecadação de ISS que a
cobrança de pedágio gera e a possibilidade de melhorar a mobilidade urbana
interna com a definição de obras complementares como a finalização de marginais
e até a sonhada ponte entre Tubarão e Capivari de Baixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *