Coluna de 26/10/2017

A Comenda da polêmica

Diversas pesquisas internas têm circulado na tentativa de compreender qual o cenário da disputa pelo governo do Estado em que estão inseridos. Diferentemente dos pleitos anteriores, não há nomes que se sobressaiam aos demais. Esperidião Amin (PP) tem intenção de voto diferenciada, em situação mais que esperada pelo fato de ser, de longe, o mais conhecido entre os possíveis postulantes ao cargo de governador – afinal, ocupou o cargo pela primeira vez em 1983 e desde então vem sendo protagonista da política local. Em um patamar bem inferior também é lembrado Paulo Bauer (PSDB), cujo destaque também pode ser compreendido pela participação em disputas majoritárias recentes (eleito vice-governador em 1998 e senador em 2010 e candidato ao governo em 2014). Mauro Mariani (PMDB) e Décio Lima (PT), que nunca estiveram em composições majoritárias estaduais, chegam numa espécie de terceira fila deste grid de largada, ainda à frente de Gelson Merisio (PSD), que também só participou de disputas proporcionais no âmbito estadual. Amin é um caso à parte, por naturalmente atrair simpatia e rejeição pela figura icônica que representa. Além dele, estão todos no páreo porque ser desconhecido do público é algo que se resolve durante a campanha.

Reforma

A obra da reforma da Casa da Cidade já está em execução. A obra vai custar R$ 278.566,30 e será executada pela empresa Kamilla Construções, de Criciúma, com recursos de uma emenda parlamentar do deputado Pedro Uczai (PT). Construído em 1897 para uso residencial da família do coronel João Cabral de Mello, intendente de Tubarão (prefeito) entre 1890 e 1910, o imóvel já abrigou a prefeitura e outros órgãos públicos nas décadas seguintes. Em 1984, o local foi restaurado e tombado como patrimônio histórico e cultural do município, recebendo o nome de Casa Huberto Rohden.

O candidato

O PP de Tubarão definiu ontem a pré-candidatura a deputado estadual do presidente da Câmara de Vereadores Pepê Collaço (D), em deliberação do diretório municipal. Felippe Luiz Collaço tem 39 anos, cumpre seu terceiro mandato como vereador, foi vice-prefeito de 2009 a 2012 e prefeito nos seis meses finais da gestão, depois da morte do prefeito Manoel Bertoncini. Foi também candidato a prefeito em 2012.

Merisio não empolga

Entre as lideranças locais e estaduais do PSD, é inegável o sentimento de desânimo com as pretensões de Gelson Merisio, de se candidatar com o apoio do PP. Muita gente quer uma aproximação com o PSDB e o PMDB, de modo a formar novamente a tríplice aliança costurada por Luiz Henrique da Silveira. Provavelmente com um candidato do PMDB ao governo, ou com Bauer, pela posição nas pesquisas.

Situação da Unisul

Segundo o presidente da Câmara de Vereadores de Tubarão, Pepê Collaço, o grupo de trabalho formado no Legislativo, embora tenha tido sua criação suspensa pela justiça, deve entregar nos próximos dias seu relatório sobre a situação financeira da Unisul. A grande expectativa, inegavelmente, é quanto aos gastos com folha de pagamento e a possibilidade de haver cortes integrais de pessoas cujas atividades sejam consideradas “dispensáveis”.

Cau Cancellier

Hoje é dia de dois eventos importantes pelo Brasil em que será rememorada a morte de Luís Carlos Cancellier e o debate que esse fato suscita sobre a democracia brasileira. No Rio de Janeiro, o também tubaronense Lédio Rosa de Andrade, desembargador, participa do Ato Unificado Democracia, Soberania e Desenvolvimento, com nomes como os dos ex-ministros Luiz Carlos Bresser Pereira e Celso Amorim, dos dirigentes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stédile, e do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos. Em Brasília, acontece uma sessão solene do Congresso Nacional, “em razão dos serviços prestados à democracia e à educação brasileiros”.

Janela não contempla vereadores

A janela de transferência partidária prevista em lei para o último mês de filiação a tempo de concorrer a um pleito eleitoral contempla apenas os parlamentares que estão em seu último ano de mandato. Isso equivale a dizer que, em abril de 2018, apenas deputados podem trocar de sigla sem correr o risco de perder o mandato. Aos vereadores, essa oportunidade só se abrirá em abril de 2020. Antes disso, só em acordo com o partido ou correndo o risco de ter que discutir sua permanência na justiça.

Economia

A Câmara de Vereadores de Tubarão divulgou dados em que se intitula como a mais econômica entre os municípios catarinenses com mais de 100 mil habitantes, com duodécimo de R$ 6,3 milhões. A população estimada é de 104.457 e o custo de R$ 61,23 por habitante, enquanto Itajaí – com 212.615 moradores – é a que mais gasta neste quesito, R$ 193,89. Além destes números, o presidente Pepê Collaço (PP) também comenta que os gastos com diárias, passagens, folha de pagamento e terceirização foram reduzidos consideravelmente em relação aos de gestões passadas.

Deixe uma resposta