Coluna de 1º/11/2017

Novo gerente de Saúde assume nesta quarta-feira

Com sua nomeação já devidamente publicada no Diário Oficial desde sexta-feira, Everson Barbosa Martins (E) será efetivamente empossado na Gerência Regional de Saúde nesta quarta-feira, em substituição ao médico Vicente Corrêa Costa, que não correspondeu às expectativas. Everson tem formação em Gestão Pública e assume com credenciais administrativas, apesar de não ser técnico da área da saúde – o que não tem sido sinônimo de sucesso na função recentemente. Sua primeira missão será reavaliar a estrutura técnica já nos primeiros dias, em conjunto com os vereadores do partido, que apoiaram a sua indicação. O entendimento do governo é de que a função requer justamente habilidade no relacionamento com as prefeituras e a busca de soluções dentro do próprio governo do Estado, num momento de possível turbulência política. No fim deste ano ou em abril, existe a possibilidade de rompimento entre PSD e PMDB e provavelmente o governador Raimundo Colombo entregará o comando da administração a Eduardo Pinho Moreira para poder concorrer ao Senado. Embora essa possibilidade de rompimento já tenha sido mais considerável, ela ainda existe e pode gerar mais uma leva de mudanças nas estruturas das regionais.

Cemitérios

A Comissão de Estudo e Avaliação das Condições dos Cemitérios Municipais de Tubarão, formada por membros da prefeitura e Câmara de Vereadores e de entidades como a Associação dos Municípios da Região de Laguna (Amurel), Companhia de Urbanização e Desenvolvimento de Tubarão (Coudetu) e Cúria Diocesana, apresentou um balanço das ações que buscam atender às exigências do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) quanto ao funcionamento dos cemitérios municipais. O presidente da comissão é o vereador José Luís Tancredo (PSDB) e uma reunião no dia 9 de novembro entre o prefeito Joares Ponticelli, representantes do Ministério Público e Delegacia de Crimes Ambientais vai encaminhar a finalização dos trabalhos, que depois seguirá para a Câmara de Vereadores.

Local inadequado

A nova sede das secretarias de Desenvolvimento Econômico e Urbanismo, Planejamento e Mobilidade, localizada na rua Eugênia dos Reis Perito, não reúne condições de sediar os serviços. O piso de cimento, o telhado sem forro e, principalmente, a falta de uma climatização adequada expõe funcionários e cidadãos a condições desagradáveis. As adaptações estão previstas, mas deveriam ter sido feitas antes da mudança. Nesta sexta o espaço estará fechado para providenciar os reparos necessários.

Candidato do PT

O PT de Tubarão emitiu nota informando que ainda não iniciou o seu processo de escolha de candidatura. Citou textualmente Professor Paulão, Olavio Falchetti, Matusa e o professor Sebastiâo dos Reis Netto como alternativas. Sem definir um prazo para ter o nome definido.

Nada pessoal

O vereador José Luiz Tancredo (PSDB) me procurou para deixar claro que seus embates com o presidente Pepê Collaço (PP) na Câmara devem-se estritamente por exigir o cumprimento do Regimento Interno, sem qualquer conotação pessoal. Destacou ainda que suas cobranças também se destinam ao poder Executivo.

Guarda desarmada

A prefeitura de Niterói (RJ) realizou uma consulta pública informal neste fim de semana visando dar uma espécie de autorização para o armamento da Guarda Municipal. O resultado foi totalmente inverso: apenas 5% dos 371 mil eleitores do município compareceram e, destes, mais de 70% votaram contra o armamento. Os principais argumentos usados pelos contrários à medida eram de que as armas, nas mãos de pessoas pouco preparadas para isso, podem trazer mais prejuízos que benefícios.

Falta discutir

O projeto de lei que tramita no Congresso Nacional visando regulamentar os serviços de aplicativos de transportes é um belo exemplo de caso em que o Congresso deveria propiciar um debate mais profundo com a sociedade. É notório que o sistema de concessões de táxi chegou a uma situação insustentável, inclusive com a comercialização de concessões públicas – o que evidentemente torna o serviço mais caro para o consumidor. Por outro lado, não é razoável que empresas privadas (a principal delas, o Uber, sediada fora do país) explorem o serviço ao seu bel prazer, sem garantia de direitos a clientes e motoristas. Regulamentar é necessário, mas evidentemente de forma a viabilizar seu funcionamento. O que se vê na imprensa, porém, é um duelo de lobbies: taxistas de um lado, Uber de outro. Cada qual com a sua bancada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *