Central do Samu pode ficar ainda mais longe

É antigo o pleito de Tubarão para que seja fixada na cidade uma central de regulação do Samu. Hoje o secretário de Estado da Saúde Vicente Caropreso (deputado estadual do PSDB licenciado) anunciou que não apenas não ampliará este número como reduzirá as atuais, de oito para quatro.

O governo já havia proposto a instituição de uma única estrutura.

As centrais telefônicas recebem as chamadas de emergência. Hoje, ligações da região da Amurel são atendidas por uma central em Criciúma, o que gera dificuldades de orientação sobre o local para onde a ambulância deve ir porque os atendentes não conhecem as nossas cidades – situação replicada em todas as regiões, naturalmente.

O resultado é um atendimento menos ágil, o que pode ser intensificado. Em 2015, foram 3 mil atendimentos.

Com o corte de metade das centrais, é provável que a região seja coberta por uma central ainda mais distante, em Florianópolis.

O governo do Estado não listou as centrais que serão cortadas. hoje, existe essa estrutura em Balneário Camboriú, Blumenau, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Joaçaba, Joinville e Lages.

A proposta não põe em discussão a manutenção de uma unidade do Samu em Tubarão. Trata-se apenas da central de atendimento às ligações de emergência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *