Casa da Cidade de Tubarão está fechada

A Casa da Cidade Tubarão segue fechada. Amanhã completam-se seis meses que a estrutura histórica foi entregue à prefeitura. Houve uma longa reforma, assim organizada em duas etapas. A segunda iniciada em 24 de agosto de 2017 e entregue, posteriormente, em 4 de dezembro de 2018. O custeio deu-se por emenda parlamentar do deputado federal Pedro Uczai (PT), conforme informações divulgadas pela prefeitura.

Desde então, o município vive a expectativa de ter um espaço cultural e de resgate à sua história. O local não poderia ser mais apropriado: o Palacete Cabral foi construído na segunda metade do século XIX, e já abrigou os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário na cidade. Hospedou o conde d’Eu, príncipe imperial do Brasil e marido da princesa Isabel. E sediou o governo provisório do Sul de Santa Catarina, depois da tomada do poder federal por Getúlio Vargas, em 1930.

Casa da Cidade com infiltrações aparentes

Esta obra mais recente promoveu uma pintura em azul escuro. Disfarçou, mas não escondeu as aparentes infiltrações do prédio, que nem sequer foi reinaugurado. Há exatamente um mês (em 3 de maio), a prefeitura anunciou a intenção de abrigar a Academia Tubaronense de Letras (Acatul) no espaço. O assunto não foi mais abordado publicamente, e a cidade segue sem a Casa da Cidade. Ou seja: a Casa da Cidade de Tubarão segue fechada.

As infiltrações aparentes já eram notáveis durante a realização da obra e houve registros.

Casa da Cidade como museu de Tubarão

A ideia de instituir no espaço um museu da história de Tubarão sempre foi uma bandeira de Arilton Barreiros, colunista do Diário do Sul e comunicador da rádio Santa Catarina.

Espaço tem, portanto, a infraestrutura e a localização necessários. Porém, a ideia não foi desenvolvida. Apesar de a obra estar definitivamente concluída há mais de seis meses.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mande sua mensagem por WhatsApp
Enviar