Candidaturas de postulantes de Tubarão à AL caíram para menos da metade

A Amurel não conta hoje com nenhum representante na Assembleia Legislativa e, há alguns meses, o cenário indicava uma divisão de candidaturas que poderia nos levar a acreditar na manutenção deste cenário. Falava-se em candidatura genuína de Tubarão em cinco dos seis partidos representados na Câmara de Vereadores: Pepê Collaço (PP), Lucas Esmeraldino (então no PSDB), Evandro Almeida (PMDB), Caio Tokarski (PSD, na possibilidade de Júlio Garcia disputar a majoritária) e Sebastião dos Reis ou Olavio Falchetti (PT). Havia ainda a indicação de que Edi da Farmácia (então no PSC) seria o sexto concorrente com título de eleitor registrado na maior cidade da região e, consequentemente, ponto-chave para que volte a haver representação local. Mas muita coisa mudou em poucos meses. Lucas deixou o PSDB rumo ao PSL e vai concorrer ao Senado; Edi filiou-se ao PSB e vai tentar uma cadeira na Câmara dos Deputados; Evandro Almeida abriu espaço para a candidatura do agora ex-prefeito de São Ludgero Volnei Weber; e Caio Tokarski segue sendo um plano B que só se concretizará caso uma reviravolta aparentemente improvável leve Júlio Garcia à indicação de uma vice, em uma aliança com o PMDB. Em resumo, apenas duas das seis pré-candidaturas originais de Tubarão seguem de pé. Naturalmente há dois fatores relevantes: o fato de que postulantes de fora serão fortemente apoiados por lideranças locais, como Volnei Weber e Júlio Garcia; e a possibilidade de surgir uma nova pré-candidatura neste cenário, como a comentada de Estener Soratto Júnior pelo PSDB. O fato é que se Tubarão votar em candidatos da cidade, os tempos de falta de representação no parlamento estadual provavelmente acabarão em breve.

Deixe uma resposta