Atenção à acessibilidade nos abrigos

É preciso prestar atenção à acessibilidade nos abrigos de passageiros. A construção dos tradicionais pontos de ônibus por empresas privadas é, inegavelmente, um avanço considerável para a melhoria destes serviços.

Porém, é preciso destacar que esse modelo precisa sair do Centro da cidade e chegar aos bairros do interior. Onde a visibilidade comercial certamente é menor, mas a necessidade social é bem maior.

Outro aspecto é a atenção à acessibilidade dos abrigos. Estes abrigos de passageiros têm sido construídos com elevações que formam degraus. E estes degraus são altos, o que acaba provocando pequenos acidentes. Especialmente com idosos, que muitas vezes tropeçam no obstáculo.

Aliás, estes acidentes estão se tornando corriqueiros e não apenas entre os usuários do transporte coletivo. Também entre os pedestres que passam pelos locais, especialmente em horários de pico.

A maior parte deles ganhou adaptações de acessibilidade, mas que ainda são insuficientes. É preciso acabar com os degraus, ao menos nas laterais.

Também é preciso garantir que as rampas estejam livres para a utilização dos usuários. Não adianta ter rampas e elas estarem obstruídas.

O envelhecimento populacional é uma realidade e a mobilidade urbana precisa ser pauta do planejamento urbano das cidades. O tema ganha força diante de dados irrefutáveis e reforça a necessidade de atenção à acessibilidade nos abrigos.

Mande sua mensagem por WhatsApp
Enviar