Artigo: quando as notícias falsas tornam-se armas eleitorais

Recomendo a leitura do artigo “Armas de distração em massa“, publicado na coluna de Soledad Gallego-Diaz da versão em português do jornal espanhol El País.

O texto aborda uma estratégia eleitoral que tem sido usada em eleições de diversos países: a disseminação de notícias falsas como forma de desviar a atenção do debate, deixando em segundo plano o que realmente importa. Os casos destacados são de França e Rússia.

No Brasil a utilização deste expediente também é notória e pode se intensificar, pois a ocorrência de mentiras sobre assuntos envolvendo agentes políticos é um caso generalizado.

Há uma série de iniciativas que visa propiciar ao cidadão que cheque a veracidade das notícias que circulam nas redes sociais. O Google lançou uma ferramenta com essa pretensão.

Evidentemente, não há como um sistema dessa natureza ter 100% de eficácia.

Nem como obrigar as pessoas a verificar a procedência dos textos antes de espalhá-los.

O fato de essa discussão desembocar em estratégias de manipulação eleitoral apenas acentua a necessidade de falar sobre o tema.

Deixe uma resposta