Área Azul repete mesmos erros

A Área Azul de Tubarão repete os mesmos erros do passado. Na manhã de hoje a notícia é de que a Apae rompeu o contrato com a IT2B, que primeiramente operacionalizava o serviço. O trabalho segue, no entanto, sendo desempenhado pela empresa. Não ficou muito claro por quanto tempo nem em quais condições. A declaração diz não apenas que será um trabalho ainda mais limitado, mas também de prazo indefinido.

O momento é inegavelmente inadequado para discutir grandes mudanças. A pandemia de Covid-19 faz com que todas as atenções estejam voltadas à saúde. Há menos pessoas nas ruas – ou ao menos deveria haver. As empresas postulantes, oriundas de todo o País, podem estar com funcionamento reduzido. Afinal, não sabemos ao certo como o quadro da saúde pública vai se comportar daqui em diante.

Contudo, em algum tempo passaremos por mais um grande debate sobre como deve ser o estacionamento rotativo na nossa cidade.

A Área Azul repete erros do passado

Já sabemos, enfim, que o serviço segue repetindo os mesmos erros do passado. Já se tentou implementar modelos diversos e as reclamações são sempre as mesmas:

  • Falta de monitores;
  • Falta de legitimidade destes poucos monitores para aplicar sanções aos motoristas;
  • Instabilidade técnica nas plataformas digitais.

Já comentei aqui que a solução precisa passar pela atuação direta da Guarda Municipal. Para orientar e, quando necessário, notificar infrações.

Temos quase 40 guardas municipais em Tubarão. Este grupo de profissionais gera altíssimo custo para os cofres municipais e não se sabe dizer ao certo qual retorno dá à população.

Não oferece segurança aos alunos nos horários de entrada e saída das escolas. Além disso, também não atua para melhorar o fluxo de trânsito em horários de pico.

Os guardas são numerosos, bem remunerados e têm competência para resolver esse problema social de Tubarão. A cidade está precisando deles.

Mande sua mensagem por WhatsApp
Enviar