A crise da extrema direita nas ruas

A crise da extrema direita está nas ruas. É o que se nota diante das duas desastradas manifestações contra a implantação de pedágios na BR-101 realizadas na região. Primeiramente, em Laguna; posteriormente, em Tubarão. Ambas com público muito reduzido e absolutamente restrito aos movimentos radicais que tiveram uma espetacular vitória nas eleições de um ano atrás.

A fala fácil, evidentemente, murchou. A crise da extrema direita está nas ruas. Os protestos espantam apoiadores de Bolsonaro porque é o seu governo que está prestes a lançar um edital de concessão prevendo as quatro praças no trecho sul da rodovia. Eles terão a digital do presidente e é dele que será necessário lembrar a cada pagamento para transitar pela estrada.

Os críticos a Bolsonaro evidentemente não se aliaram aos grupos que gritam frases desconexas contra a oposição. E a população em geral não comprou a histeria de quem bradava quando era oposição e agora berra também quando é governo.

O resultado foi mais um protesto esvaziado, sem bandeiras claras. A contradição é evidente.

E pode ser percebida até pelas divergências do governador Carlos Moisés e a ala bolsonarista do governo.

A crise da extrema direita é de identidade

Afinal de contas:

  • O protesto é contra o governo Bolsonaro, que planeja lançar o edital de concessão com quatro praças no trecho sul?
  • É contra os representantes locais que não agiram no momento em que ainda havia alguma margem de possibilidade de negociação?
  • A ausência dos deputados da base dos governos estadual e federal significa uma carta de confissão?
  • E a República de Tubarão, por onde anda? Por enquanto, serviu apenas para envergonhar a cidade e aumentar o seu isolamento político.

Afinal, contra quem protestam os militantes de extrema de direita? Com efeito, hoje governam o Estado e o País. Têm representantes locais na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa. Além disso, estão ocupando as secretarias-chave de todas as esferas da administração pública.

Enfim, estão se deparando com o desafio de praticar o que prometeram em campanha.

Um comentário em “A crise da extrema direita nas ruas

  • 28 de outubro de 2019 em 17:00
    Permalink

    Sobre as praças de pedágio é que nossos representantes tanto na esfera federal , estadual e municipal não se preocupam com a população porque esse processo vem desde o governo passado e vai se sacramentada com o atual governo. Ai fica a pergunta onde estavam os nossos vereadores ,nosso prefeito e os deputados que não fizeram nada , agora não adianta chorar o leite derramado. Mas é muito triste ver principalmente nosso prefeito e nossos vereadores , parece que tão anestesiados .

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mande sua mensagem por WhatsApp
Enviar