A casa da Mãe Joana

A Câmara de Vereadores de Capivari de Baixo, alvo de diversas notícias negativas nos últimos anos, deu mais uma mostra de fazer jus ao título de Casa da Mãe Joana – nome da operação realizada no ano passado e que resultou no afastamento de quatro vereadores. Na sessão de segunda-feira, o presidente da Casa, Pedro Camilo (PDT), resolveu, em decisão monocrática e sem qualquer debate em plenário, anular as eleições para a presidência da Casa em 2018, 2019 e 2020 – na cidade, os mandatos de presidência do Legislativo são de apenas um ano. A alegação principal é de que os vencedores não obtiveram a maioria dos votos dos 11 vereadores, já que todas as disputas tiveram o mesmo placar: 4 x 3. Ocorre que, como é sabido, quatro vereadores da cidade foram impedidos pela Justiça de tomar posse em 1º de janeiro, fazendo com que houvesse apenas sete deles aptos na data. O caso é complexo e colocaria em xeque diversas decisões da Câmara no período em que as vagas ficaram em aberto.

Rivalidade

Não pode deixar de ser destacado o fato de que os dois vereadores que assumiriam a presidência em 2018 e 2019 são China e Thiago Viana, ambos do PP. E que estes vinham tomando medidas que vinham desagradando a alguns vereadores, solicitando redução do recesso parlamentar, do quadro de servidores da Câmara e até mesmo congelamento de salários. Busquei contato com o presidente Camilo diversas vezes ontem, mas os servidores da Câmara informaram em todas as oportunidades que ele estava em reunião e não poderia atender. Os vereadores buscarão um Mandado de Segurança para manter o resultado das eleições de 1º de janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *